Aperte "Enter" para pular para o conteúdo

Categoria: Lendo Não-Ficção

O “cadáver decomposto”

Um dos livros que estou lendo esse mês é o História da Morte no Ocidente – Da Idade Média ao nossos dias, de Philippe Ariès, tradução de Priscila Viana de Siqueira. O texto original é de 1977. Essa é a versão de bolso da Saraiva, publicada em 2012. No segundo capítulo, intitulado II. A morte de si mesmo, deparei-me com um trecho interessantíssimo sobre o corpo decomposto, que – por dialogar com visuais, texturas e significados que ando explorando em minha arte – reproduzo abaixo:

Ilustração em preto e branco de Alliah baseada em Vesalius.
Ilustração minha baseada em Vesalius.

3. O “cadáver decomposto”

O terceiro fenômeno que proponho à reflexão dos leitores surge no mesmo momento das artes moriendi: trata-se do aparecimento do cadáver chamado “o cadáver decomposto”, “a carniça”, na arte e na literatura.

Comentários encerrados